Facebook Twitter Google + YouTube
Câmara de Guimarães esclarece prazos do processo disciplinar a técnico da Autarquia

Câmara de Guimarães esclarece prazos do processo disciplinar a técnico da Autarquia

Política10 de Julho, 2017 14:03

A Câmara de Guimarães esclareceu, em comunicado, que por despacho do Presidente da Câmara, datado de 22 de junho, foi determinada a suspensão preventiva do exercício das funções do arquitecto Filipe Vilas Boas, " nos termos e fundamentos constantes do despacho junto ao processo".

"Nos termos do art.º 205.º da Lei n.º 35/2014, de 20 de junho, que aprovou a Lei Geral do Trabalho em Funções Públicas, o processo deve ultimar-se no prazo de 45 dias (úteis), prazo que termina em finais do próximo mês de agosto, podendo ser prorrogado. O termo do prazo da suspensão preventiva, que pode ir até 90 dias, termina em finais do mês de outubro (n.º 1 do art.º 211.º da LTFP)", esclarece o Município.

"O prazo para defesa do trabalhador deve ser, no mínimo 10 e máximo de 20 dias úteis (n.º 1 do art.º 214.º da LTFP) após comunicação da acusação, que terá que ser notificada por carta registada com A/R, uma vez que o trabalhador se encontra suspenso", lê-se no documento.

"A instrução do processo fica a cargo do instrutor que faz autuar o despacho com a participação ou queixa e procede à instrução, ouvindo o participante, as testemunhas por este indicadas e as mais que julgue necessárias, procedendo a exames e mais diligências que possam esclarecer a verdade e fazendo juntar aos autos o certificado de registo disciplinar do trabalhador (art.º 212.º)", refere o referido comunicado.

"A acusação contém a indicação dos factos integrantes da mesma, bem como das circunstâncias de tempo, modo e lugar da prática da infração, bem como das que integram atenuantes e agravantes, acrescentando a referência aos preceitos legais respectivos e às sanções disciplinares aplicáveis. Significa isto que toda a instrução está a cargo do instrutor que decide, no decurso da mesma, quais as diligências necessárias para a instrução do processo, não podendo ser alvo de quaisquer constrangimentos que impeçam o exercício das suas funções e a descoberta da verdade", acrescenta, informando que "existem prazos legais para a conclusão do procedimento e ainda prazos legais que não podem ser ultrapassados, como é a situação do prazo concedido ao trabalhador para apresentar a sua defesa".

Em função dos prazos legais, o Município realça que "será legalmente impossível concluir o processo disciplinar em causa até ao final do corrente mês de julho, embora este processo deva ter toda a prioridade sobre as restantes funções que ao instrutor exerce na autarquia".

No mesmo comunicado, a Câmara informa que na sequência de afirmações à imprensa do Vereador Monteiro de Castro, do CDS/PP, foi-lhe remetido, por ofício, um pedido para que informe os factos que conhece, com dados objectivos e identificação das pessoas que alegadamente acumulam funções de trabalhadores do Município com funções privadas, ou mesmo de situações de incompatibilidades e impedimentos em processos que dão entrada nos serviços da autarquia, para posterior averiguação e eventual actuação por parte desta Câmara Municipal. 

Vídeos recentesver tudo

Rádio Santiago em Direto

Cantinho do Puff

Farmácias de Serviço

Guimarães

Farmácia Lobo (Permanente)
Avenida de Londres, 284

Vizela

Farmácia São Miguel (Disponibilidade)
Rua Dr. Abílio Torres, 442

As nossas publicações

Desenvolvido por 1000 Empresas

Contactos

Edifício Santiago
Rua Dr. José Sampaio n.º 264
4810-275 Guimarães
Tel.: 253 421 700
Email: geral@guimaraesdigital.com