Curtas
«Paisagens silenciosas» na Escola de Arquitectura da Universidade do Minho. Até 29 de Novembro.
«Memento - Raimundo Fernandes, um coleccionador de Guimarães», Casa da Memória. Até 4 de Março.
Concerto comemorativo do centenário do Orfeão de Guimarães, sexta-feira, 21h30, na igreja de S. Francisco.
A Afonsina apresenta o CD «Primeiro», sábado, 21h30, no Largo da Oliveira.
«O sonho de voar», exposição de fotografia Mário Cruz, na Assembleia de Guimarães. Até 29 de Novembro.
Facebook Twitter Google + YouTube
Responsabilidade política na Ecoibéria e protesto na Rua das Lameiras em foco na reunião do Executivo vimaranense

Responsabilidade política na Ecoibéria e protesto na Rua das Lameiras em foco na reunião do Executivo vimaranense

Política6 de Julho, 2017 17:35

O protesto dos moradores da Rua das Lameiras, em Polvoreira, e responsabilidade política sobre a forma como foi conduzido o processo do técnico da autarquia que prestou serviços à Ecoibéria, marcaram reunião do Executivo vimaranense, realizada esta quinta-feira.

No período antes da ordem do dia, assistiu-se a duas intervenções complementares a assuntos levantados na última sessão da Assembleia Municipal de Guimarães. Primeiro, foi o Vereador da CDU, José Torcato Ribeiro, a defender a necessidade de atender às preocupações dos moradores da Rua das Lameiras, em Polvoreira, pelas condições em que estão a funcionar as Oficinas Gerais da Câmara, nas antigas instalações da Fábrica Asa.

Na reacção, o Vereador do Departamento de Ambiente e Serviços Urbanos explicou que a Autarquia está a tentar adquirir através da negociação directa um terreno para construir um acesso alternativo àquele espaço, utilizado para a recolha de veículos. "Se não se conseguir, teremos de recorrer à expropriação", disse Amadeu Portilha, durante a sessão.

Pouco depois, outro assunto que mereceu a atenção do Executivo, no seguimento dos trabalhos da última Assembleia Municipal do mandato, relacionou-se com a Ecoibéria. O Vereador do CDS, António Monteiro de Castro, considerou que o Presidente da Câmara deveria assumir a responsabilidade política no caso da prestação de serviços ao promotor da Ecoibéria por uma empresa pertencente a um técnico camarário. 

O representante do CDS-PP perguntou ao Presidente da Câmara a data referente ao despacho em que a Divisão de Desenvolvimento Económico passou a ser da competência do Vereador Ricardo Costa. Na resposta, o Presidente da Câmara, Domingos Bragança, informou que o documento data de 15 de Junho de 2015.  

No final da reunião, António Monteiro de Castro considerou que "sabendo-se que tem sido descarregada a responsabilidade política na pessoa do Vereador Ricardo Costa, aquilo que verificamos é que a Divisão de Desenvolvimento Económico é um projecto do Presidente da Câmara, que acompanhou desde o princípio e depois de termos assistido na Assembleia Municipal a avocar o processo, ficamos com dúvidas". "Afinal, podemos verificar que os serviços prestados pela empresa do responsável pelo Director da Divisão de Desenvolvimento Económico refere-se ao período de Abril a Junho de 2015, exactamento no período em que o Presidente da Câmara era responsável pela Divisão", indicou Monteiro de Castro, mostrando a factura em suporte electrónico, "Estranho que se empurre a responsabilidade", afirmou o representante do CDS.

Na reacção, Domingos Bragança esclareceu que "o importante é que o Presidente da Câmara, numa determinada altura do processo em sede da Assembleia Municipal assumiu e avocou o processo da Ecoibéria, esse é o momento chave que define tudo e dará a conhecer que quis saber tudo em determinado momento". "Esta Divisão de Desenvolvimento Económico no dia-a-dia era 'trabalhada' pelo Vereador Ricardo Costa e, numa altura, ele pediu-me que passasse formalmente esse poder, de maneira a facilitar o despacho dos processos", observou Domingos Bragança, sublinhando que "a responsabilidade política é sempre do Presidente da Câmara, e referindo-se à conduta de Filipe Vilas Boas: "está a decorrer o processo disciplinar e a presunção de inocência é um princípio basilar do Estado de Direito". 

Domingos Bragança anunciou que espera que durante este mês fique concluído o inquérito e apuramento dos factos, comprometendo-se com a "transparência" na sua divulgação.

Na análise da ordem de trabalhos, a maioria socialista e a CDU aprovaram a proposta de alteração ao contrato de aquisição de serviços à Vitrus. Os vereadores do PSD e do CDS presentes na sessão votaram contra. 

A reportagem sobre o reunião do executivo vimaranense será publicada na edição do Jornal O Comércio de Guimarães, no próximo dia 12 de Junho, podendo ser também ouvida no próximo sábado no programa «Largo do Toural», na Rádio Santiago, a partir das 11h00.

Vídeos recentesver tudo

Rádio Santiago em Direto

Cantinho do Puff

Farmácias de Serviço

Guimarães

Farmácia Vitória (Permanente)
GuimarãeShopping, Alameda Dr. Mariano Felgueiras, Lj 101/102

Farmácia Faria (Disponibilidade)
R. do Calvário, 201

Vizela

Farmácia Ferreira (Disponibilidade)
Avenida Abade de Tagilde, Nº 901

As nossas publicações

Desenvolvido por 1000 Empresas

Contactos

Edifício Santiago
Rua Dr. José Sampaio n.º 264
4810-275 Guimarães
Tel.: 253 421 700
Email: geral@guimaraesdigital.com